Notícias

Com 500 anos de prisão a cumprir, vida de detento se transforma após conversão e Justiça lhe concede

Com 500 anos de prisão a cumprir, vida de detento se transforma após conversão e Justiça lhe concede

Um homem condenado a 500 anos de prisão por crimes diversos experimentou um verdadeiro milagre em sua vida ao tomar conhecimento da mensagem do Evangelho. Embora pareça improvável, acatar os ensinamentos de Jesus abriu a possibilidade de liberdade para o preso que jamais imaginou sair da cadeia.

Ron Adkins foi condenado em 1997 a 500 anos de prisão, já que pegou 99 anos de pena para cada um dos cinco crimes dos quais era acusado, e, posteriormente, recebeu mais cinco anos de sentença por portar um telefone celular não autorizado.

De acordo com informações do portal Charisma News, esse cenário roubou toda a esperança de Ron, que se rebelou e passou a fazer parte de uma facção no presídio, sempre promovendo tumulto: “Eu me propus a fazer uma reputação ruim de mim. Eu me tornei realmente violento”, afirmou, admitindo que vivia brigando com outros detentos e funcionários.

Anos se passaram e uma Bíblia desagastada, com apenas metade das páginas, fez a diferença na vida do detento destinado a passar o resto da vida na cadeia. “Estava faltando metade das páginas porque eu usava para fumar cigarros. Tudo o que restou foi o Novo Testamento”, contou.

Essa Bíblia só com o Novo Testamento foi o suficiente para que Ron conhecesse a Jesus e seus ensinamentos, seu sacrifício na cruz pela remissão dos pecados e a mensagem transformadora de vidas. Nessas páginas, Ron disse, aprendeu sobre graça, perdão e o amor de Deus, e isso o levou a desistir da facção e passar a frequentar um grupo de estudo bíblico na cadeia.

Conforme o tempo foi passando, Ron Adkins mudou de comportamento, se matriculou em cursos oferecidos por um ministério de evangelismo e, consequentemente, ficou fora de confusões na cadeia.

Chance

O juiz distrital Robert Newsom, um ex-policial e promotor, teve seus caminhos cruzados com Ron Adkins de forma improvável. Na época da condenação de Ron, ele ainda não era juiz, mas já era um adepto de punições duras, apesar de considerar que oportunidades de misericórdia devem ser oferecidas diante de situações que a permitam.

“Eu acredito na lei. Eu promovo a lei. Eu aceito a lei. Por outro lado, há um lugar para a misericórdia em nossa lei”. declarou o juiz Newsom à emissora Christian Broadcasting Network, admitindo que sua fé cristã tem influência nas decisões que toma.

Desde 2011, quando os servidores públicos adotaram uma filosofia de oferecer uma chance aos presos em reabilitação que demonstrem interesse em se comportar conforme a lei exige, a taxa de criminalidade no estado do Texas caiu significativamente.

Em 2012, Ron mantinha um “bom comportamento” aos olhos exigentes da lei do Texas, e se dedicava de forma intensa aos estudos bíblicos e outros cursos oferecidos pelos evangelistas, quando entrou no radar dos servidores que observavam presos que poderiam entrar no programa de revisões de pena.

Em maio de 2015, Ron foi surpreendido por uma decisão da Justiça, que havia revisado seu caso e decidido oferecer liberdade condicional a ele por conta de seu bom comportamento. “Foi incrível. Eu nem pensei que fosse real até eu realmente sair do portão”, lembrou.

Com a liberdade reconquistada, conseguiu um emprego como operador de equipamentos pesados, e no tempo livre, ia a igrejas diversas para compartilhar seu testemunho. Em um desses eventos, conhecer Dawn Knighton, ex-criminosa que se tornou conselheira. O resultado foi que os dois se apaixonaram e casaram.

“No mesmo lugar onde fui condenado a morrer na prisão, Deus hoje me usa para recuperar as coisas mortas. E é isso que Ele está fazendo. Na prisão, nas noites de adoração, nas reuniões de oração. Ele está apenas trazendo as coisas mortas de volta à vida”, finalizou Ron.

Fonte : Gospel mais




< Voltar

Copyright 2017 - Rádio Mais Louvor